Raquel Lyra comemora aprovação do Finisa

Wagner Gil para o Jornal Vanguarda

Depois de muito diálogo, reuniões e debates, a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), conseguiu aprovar, na terça-feira (16), o Projeto de Lei 6015-2018, que trata do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa), uma linha de crédito disponibilizada para todos os 184 municípios pernambucanos, mas que apenas sete estavam aptos a receber esses recursos. O valor foi de R$ 83 milhões e o dinheiro vai possibilitar uma série de obras estruturadoras para a cidade, como, por exemplo, a construção da Via Parque.

Na última quarta-feira (17), a prefeita sancionou a lei e conversou com a imprensa. "Todo o dinheiro do Finisa tem o apoio e o controle da Caixa Econômica Federal, que avaliou o plano de ação enviado pela Prefeitura com as obras e as localidades que serão contempladas. Lutamos para que o projeto fosse realidade em nosso município e para que as melhorias que tanto queremos chegassem à periferia da nossa cidade. É uma vitória para o povo de Caruaru", comemorou.

De acordo com a superintendência da Caixa, as condições do financiamento incluem taxas de juros de 2%, carência de dois anos e prazo de 20 anos. Dentre as ações que vão beneficiar a população da área urbana e, também, da zona rural, estão investimentos de mais de R$ 16 milhões em esgotamento sanitário, R$ 15 milhões para feiras e mercados públicos, R$ 11 milhões em pavimentação e recapeamento de vias e mais de R$ 13 milhões em drenagem de canais e córregos. Também será construída a Via Parque com esses recursos.


CÂMARA

A aprovação do projeto foi bastante polêmica, mas com muito diálogo, debates e esclarecimentos. A prefeita Raquel Lyra usou a conversa como estratégia e levou o assunto a ser debatido, exaustivamente, pelos vereadores. Ela conversou pessoalmente com cada edil e mais de uma vez com alguns deles. O que surtiu efeito: 19 votos a favor e apenas quatro contra. Em dezembro passado, o projeto foi derrotado por 12x11.

No dia da votação, a sessão extraordinária estava marcada para as 10h, mas só foi concluída após as 14 horas, com mais de seis horas de intenso debate. Isso porque, às 8h, alguns secretários municipais, vereadores e técnicos da Caixa estavam em nova rodada de conversas, junto com as comissões de Orçamento, Finanças e Obras.

"Quando votei contrário ao projeto no primeiro momento, não estava preocupado em derrotar, mas em ser mais esclarecido. Em dezembro foram mais de dez matérias para analisar e essa, realmente, minha assessoria precisava de mais informações e fomos buscá-las", disse Edjaílson da CaruForró (PRTB).

"Nós, vereadores, temos que ter responsabilidade. Pedimos mais detalhamento e conseguimos. Hoje voto pela aprovação, sabendo onde os recursos serão aplicados", afirmou Ranílson Enfermeiro (PDT), outro que mudou de posicionamento.

O presidente da Câmara, Lula Torres, falou com o VANGUARDA. "Isso prova mais uma vez a responsabilidade dos vereadores com a cidade. Não falo apenas pela aprovação, mas pela cobrança de informações. Tivemos muitas, muitas reuniões e esse projeto foi aprovado. Estou orgulhoso do Poder Legislativo, que promoveu um debate ético para a cidade", disse.

Diversos secretários municipais foram à Casa Jornalista José Carlos Florêncio conversar com os vereadores. Entre eles, estavam técnicos como Rubén Pecchio (Planejamento), Dimitre Bezerra (Controladoria), Diogo Bezerra (Fazenda), Diogo Cantarelli (Assessoria Especial), José Carlos Menezes (Desenvolvimento Rural), bem como os secretários executivos Hélio Júnior (Imprensa) e Ricardo Almoêdo (Comunicação).


OPOSIÇÃO

O que chamou a atenção também foi a mudança de postura de alguns vereadores da oposição. "Votei contra na primeira vez porque faltavam informações. Nós temos responsabilidade com a cidade. Eu participei de várias reuniões e, agora, tenho certeza de onde as obras serão realizadas e vão beneficiar também a zona rural. Eu não poderia negar R$ 83 milhões a Caruaru", disse Galego de Lages.

"Votei sim porque agora o projeto está bem explicado e poderemos dar o retorno à população e ainda fiscalizar essas obras quando estiverem acontecendo. Essa é a função do vereador", afirmou Rozael do Divinópolis (PRTB), que também mudou o voto e ajudou na aprovação. Cecílio Pedro (PMDB) também votou a favor, mesmo não estando na base. "As condições para o município são boas e as informações chegaram precisas."

A bancada do PRTB, que reúne quatro vereadores, teve três votando contra em dezembro: Edjaílson, Tafarel e Rozael, apenas Duda do Vassoural havia votado a favor. "Essa mudança de postura de nosso partido se deu devido ao diálogo que a prefeita Raquel Lyra teve com os vereadores e a sociedade. O financiamento foi bem explicado e todas as dúvidas foram tiradas. Nossa responsabilidade é com o desenvolvimento de Caruaru e tenho certeza que a prefeita vai empregar esse dinheiro de forma correta e atendendo aos anseios da sociedade", disse Luciel Emerson, presidente da sigla. O PRTB detém a segunda maior bancada, a maior é a do PDT, que tem cinco edis.

Os vereadores que votaram contra foram Marcelo Gomes (PSB), Sérgio Siqueira (PTdoB), Alberes Lopes (PRP) e Daniel Finizola (PT).