Médicos decretam greve por tempo indeterminado

A paralisação denuncia a insegurança nas unidades, escalas incompletas, estruturas precárias, falta de medicamentos e insumos básicos e ausência de recomposição das perdas salariais.

A partir da próxima quinta, os médicos da rede municipal do Recife irão suspender os atendimentos. Todos os serviços eletivos, de PFS, CAPs e ambulatórios estarão paralisados, funcionando apenas urgência, emergência e maternidades, de acordo com o Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe). A greve só se inicia após cumprimento do prazo legal de 72 horas e comunicação à Prefeitura do Recife (PCR).

O presidente do Simepe, Tadeu Calheiros, afirmou que foram feitas várias tentativas de negociação com a PCR, que, segundo ele, não apresentou propostas efetivas que atendessem aos pleitos dos profissionais. "Há quase um ano o sindicato vem tentando negociar com a prefeitura, até chegar à decisão de paralisar as atividades médicas por tempo indeterminado".

A vice-presidente do Simepe, Cláudia Beatriz Andrade, disse que as denúncias e visitações aos postos de trabalho continuarão neste período. “Vamos realizar vistorias às unidades de saúde e encaminharemos as denúncias de postos em situação precária ao Cremepe e aos órgãos competentes”, finaliza.

A próxima AGE dos médicos do Recife está marcada para o dia 25 (quinta-feira), às 8h30, no auditório da AMPE, no bairro da Boa Vista, para definir os novos rumos do movimento grevista.